Concentração e emissão de metano em um lago raso subtropical

#publicaciencia

Dissertação de Iara Bueno Giacomini

RESUMO: O metano (CH4) na atmosfera absorve radiação infravermelha (IV) e contribui para o aquecimento global. Considerando que este gás absorve 23 vezes mais radiação IV que o CO2, e que sua concentração aumentou 151% desde 1750, o CH4 é considerado atualmente um dos mais importantes gases de efeito estufa. Os ambientes aquáticos continentais são fontes naturais de CH4, representando 76% da emissão total global. Visto que a planície costeira do RS apresenta uma vasta extensão de ambientes lacustres, naturais e artificiais, e que impactos antropogênicos podem alterar a metanogênese e o ciclo do carbono, o estudo dos padrões de produção de CH4 nesses ambientes é importante para se estimar a produção regional total, e compreender os principais fatores relacionados com o aumento da emissão. Desta forma, é objetivo deste trabalho estimar e comparar a concentração e a emissão de metano de um lago raso oligotrófico entre 3 áreas: litorânea, limnética rasa e limnética em diferentes estações do ano. Para isto, foram observadas as concentrações de CH4 no sedimento, na coluna d’água, e nas bolhas que se desprendem do sedimento. Perfis de 10 cm de sedimento foram coletados em campo utilizando perfilador, estes perfis foram divididos em seis frações, e a concentração de CH4 foi determinada para cada uma delas. O CH4 presente na coluna de água foi determinado a partir de amostras sub superficiais de 10ml de água, utilizando seringas e conservando em frascos com pressão negativa e NaCl. A captura das bolhas foi feita a partir de um sistema de funis invertidos, com área conhecida, acoplados a tubos coletores durante 24 horas em cada região, permitindo a estimativa da produção de CH4/hora/área. As análises referentes à concentração de CH4 foram feitas em cromatógrafo gasoso com detector FID. As variáveis abióticas determinadas em cada coleta foram: pH, condutividade, O2 dissolvido, temperatura para a coluna d’água, vento e temperatura atmosférica. Os resultados indicam que a variação espaço-temporal de emissão e concentração de CH4 é grande. No sedimento as concentrações de metano variaram de 0 a 6273,9 µmol/g. Na coluna d’água as concentrações variaram de 0,11 a 13,33 µmol/L. E a variação de emissão foi entre 0 e 298,58 µuol/m2/h. Existe uma tendência de maiores concentrações e emissões na região litorânea vegetada, no verão, enquanto que no inverno os valores são menores e apresentam menor amplitude. Esse padrão é provavelmente explicado pela maior quantidade de matéria orgânica presente no estande de macrófitas, criando as condições necessárias para que ocorra a metanogênese.

Hits: 80

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *