A agressividade na psicanálise winnicottiana

#publicaciencia

Tese de Roseana Moraes Garcia

 RESUMO: O objetivo deste trabalho é apresentar de maneira organizada o conceito de agressividade e de destrutividade na natureza humana, da perspectiva da psicanálise winnicottiana. Inicialmente, partindo-se de críticas explícitas relativas ao tema, feitas por Winnicott tanto à psicanálise freudiana quanto à kleiniana, é apresentado um contraponto com esses dois autores expondo-se as diferenças entre a psicanálise tradicional e a psicanálise winnicottiana, o que caracteriza uma mudança paradigmática na psicanálise, segundo os moldes kuhnianos. Tomando-se como referencial a teoria do amadurecimento pessoal elaborada por Winnicott estuda-se o amadurecimento da agressividade desde as suas raízes, nas quais ela nada mais é do que motilidade e espontaneidade até a sua integração na personalidade total do indivíduo, ressaltando que a agressividade está sempre ligada, desde as suas raízes à separação do eu não-eu e que tem valor, quando integrada, tanto para a saúde psíquica individual quanto para a saúde psíquica social. Em seguida, descrevem-se como as diversas patologias relativas à agressividade são geradas ao longo do amadurecimento e a importância desse conhecimento para a clínica psicanalítica. Finalmente, mostra-se como Winnicott usou a sua teoria da agressividade para estudar fenômenos não clínicos, expandindo-a para fenômenos sociais, como a democracia, as ditaduras e as guerras.

Hits: 137

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *